Produtos de Investimentos – Qual escolher

Tempo de leitura: 6 minutos

Tão importante quanto a decisão de começar a investir, é escolher o produto certo para se investir. Aqui mostraremos os principais produtos financeiros como Poupança, Ações ou Titulos Públicos.

No Brasil temos uma boa gama de produtos de investimentos, alguns mais atrativos que outros. Em um lugar onde os juros básico já chegou a 25% ao ano, suficientes para dobrar seu patrimônio em 2 ou 3 anos, o brasileiro sempre enxergou a poupança como o principal meio de investimento para seu dinheiro, não que isso seja uma verdade absoluta, mas a educação brasileira sempre fez a população enxergar assim.

Hoje o cenário pode ter mudado um pouco. Um pouco!!! Aos poucos vemos, pelos números (Cenário Atual dos Investidores no Brasil), que isso pode estar mudando.

Pretendo com esse post dar apenas um resumo dos principais produtos de investimento que se encontra hoje no Brasil. Não pretendo falar de onde vem e pra onde vai cada produto, isso seria assunto para outras postagens.

Produtos de Investimentos

Os produtos de investimentos se dividem em duas categorias, os de renda fixa e os de renda variável.

RENDA FIXA
Se divide ainda em Pré-fixados e Pós-fixados:

Pré-Fixado – Você já sabe quanto vai lucrar no final do prazo contratado. Tem seu risco, pois não sofre a oscilação do mercado. Se a taxas de juros da economia subirem o produto perde valor, se caírem, ele ganha valor.

Pós-Fixado – Seu rendimento vai depender do desempenho do índice que estiver seguindo.  Nesses produtos você não sabe o quanto vai ganhar, porém o risco é menor, pois ele oscila junto com os juros do mercado ou de suas referências.

Poupança

O mais popular produto de investimento no Brasil. Funciona como um acordo entre o Banco Central e os bancos, por isso as regras são as mesmas em todo banco. Renda de 0,5% a.m. + TR, e quando a SELIC chega ao patamar de 7,5% ao ano, ele rende 7-% da Selic + TR,  não podendo ultrapassar 6% ao ano em nenhum dos casos. Sua maior vantagem é ser isento de IR e ter uma alta liquidez, acredito que esse seja o produto de maior liquidez no mercado. Encontrado em qualquer banco comercial. Um mix de pré e pós fixado, pois não sabemos a oscilação da TR porém está mais para Pré, pos sabemos que vai render até 6% ao ano. Alguns economistas não consideram a poupança como um produto de investimento.

CDB

Certificados de Depósitos Bancários, funciona como um empréstimo que o cliente faz ao banco, em troca de uma remuneração acordada entre as partes. Podem ser pré ou pós fixados, o que é feito no momento do contrato. Eu mesmo não gosto muito dessa categoria, sempre existem muitas taxas envolvidas nas negociações, e sua liquidez é média, o banco sempre sai ganhando mais.

Debêntures

São como CDB’s, porém o empréstimo é feito para empresas privadas, são um pouco mais atrativas que os CDB’s, pois as empresas pagam mais juros para compensar e ser mais atrativo, porém seu risco é maior por se tratar de uma empresa, que pode quebrar, acumular dívidas entre outras coisas.Também pode ser pré ou pós fixada. No caso das pós-fixadas são normalmente baseadas em índices de inflação. Sua liquidez é baixa. Podem ser convertidas em ações da empresa, uma forma de garantia. Nesse caso o investidor passa de “emprestador” para sócio.

Fundos de renda fixa

Normalmente atrelada a algum índice de mercado, que funciona como garantia de atratividade. Dependendo do fundo, sua liquidez pode ser alta ou baixa, pode ser diversificado, possuindo títulos de vários índices diferentes e de diversificação entre prés e pós fixadas. Esta pode ser uma ótima opção de investimento, porém seu aporte normalmente é alto, perdendo espaço para facilidade de compra de outros produtos.

Títulos públicos

De longe o produto financeiro que mais me agrada, falando-se em renda fixa. Funciona como um empréstimo para o governo em troca de juros, existem diferentes tipos de títulos, da qual temos um post para descrever cada um deles de forma resumida. è negociado pelo Tesouro Direto. Sua liquidez é de média a alta, pois você pode resgatar o valor investido toda quarta feira. Tem os melhores rendimentos do mercado se levar em consideração que dependendo de seu banco/corretora, pode não ter taxa nenhuma, isso mesmo, isento de taxas, sofrendo incidência apenas de IR e IOF. E o risco? Digamos que seu risco, o do Tesouro Direto, está diretamente associado ao Brasil quebrar(tá vai! Não é lá tão difícil assim). Porém, bem mais difícil de um banco ou empresa quebrar.

Todos esses produtos podem ser encontrados em bancos ou corretoras credenciadas pela CVM.

 

RENDA VARIÁVEL

São papéis que oscilam de acordo a variação do mercado, podendo fazer você ganhar ou perder dinheiro. Dependendo do seu perfil, pode ser os melhores produtos financeiro. A longo prazo o Brasil tem um histórico relativamente bom com esse produto. Pode ser bastante lucrativa, principalmente da forma como você conduzir sua carteira.

Ações

A menor parte de uma empresa. Ao comprar uma ação, você está se tornado sócio da empresa, participando dos lucros ou prejuízos que ela venha a oferecer.  Com elas você ganha com sua valorização, com dividendos e juros por capital. É uma opção bem arriscada de investimento, porém, quanto maior o risco, maior o retorno. No mercado fracionário, por exemplo, você pode comprar ate mesmo uma única ação.

Fundos de renda variável

Consiste na mesma ideia dos Fundos de renda fixa, porém a maior parte da carteira é constituída por ações de empresas, com risco de desvalorização, pode ser uma boa escolha para quem não tem tempo de acompanhar o mercado e fazer análises, seu aporte inicial é, normalmente, muito caro, podendo variar de R$50.000,00 a altos valores.

 

Existem ainda muitos outros produtos de investimentos de renda fixa e variável, porém são produtos que normalmente requer muito tempo e conhecimento, são eles opções, mercado a termo, derivativos, fundos imobiliários, entre outros, todas variações de algum produto. Este blog trata de um processo “iniciático” no mundo dos investimentos, por isso não vamos nos aprofundar, AINDA, nesses produtos.

 

Pretendi com essa postagem mostrar menos que o básico, o fundamento dos produtos de investimentos, querendo incentivar o leitor a procurar mais conhecimento. Aproveitem! Espero que gostem.

Ps: A principal fonte que usei para escrever esse post foi o livro do grande educador financeiro Gustavo Cerbasi, “Investimentos Inteligentes”.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *